Euclides da Lomba recebe homenagem

Euclides da Lomba recebe homenagemA vida e obra de Euclides Barros da Lomba, músico, intérprete e compositor angolano, preenchem hoje às 21h00 o espaço Show da Zimbo, apresentado por Edmilza dos Santos e o empresário de moda Kayaya Júnior.
 
O autor de sucessos que perduram no tempo há duas décadas, como “Livre Serás”, “Desejo Malandro”, “Caso de Amor e Ternura”, “Tchutcha”,  “Parrandeira”, “Mil Motivos Como Tu” e “Regressa”, viaja por memórias da vida pessoal e artística.
A chegada da mãe de Cabo Verde, em 1947, como contratada para trabalhar em roças de café, o nascimento e infância em Cabinda, a maturação e a licenciatura como “caimanero” em Cuba, bem como o início e a consistência da carreira, dominam o roteiro escolhido para o convívio de aproximadamente 2h30 minutos.
Com o suporte artístico da Banda Maravilha, fruto da química existente entre os instrumentistas Marito Furtado (bateria), Moreira Filho (baixo), Miqueias Ramiro (teclados) e Isaú Baptista (solo), Euclides da Lomba partilha a sua história.
Recentemente empossado como director nacional da Cultura, o músico criado numa família de artistas, da qual se destaca a poetisa Amélia da Lomba, irmã mais velha, recorda a visita a Luanda para a gravação de “Livre Serás”, primeiro disco, lançado em 1998, que continua a ser ouvido e procurado pelos fãs e apreciadores da sua música.
 
Trio da talentos
Nelo Paim (teclado) e Dodó Miranda (vozes) são nomes incontornáveis no percurso artístico do músico, quanto à produção. A dupla fez parte da concepção das obras “Livre Serás”, “Desejo Malandro” e “Recado Num Semba”, trabalhos bem acolhidos pela crítica, transformados em sucessos nas pistas de dança.
Euclides esperava gravar com Eduardo Paim “Marechal Kambuengo”, que por força da agenda entregou o trabalho ao irmão mais novo, instrumentista na altura à procura do firmamento, facto que causou estranheza ao cliente.
Das mãos mágicas de Nelo Paim e do canto doce de Dodó Miranda nasceu um casamento feliz com o compositor que começou a carreira como trovador, em Cuba. O trio espera voltar a unir-se, para a alegria do público.
A passagem pelo Show do Mês, projecto cultural da promotora de eventos Nova Energia, em Setembro de 2016, confirmou a popularidade do cantor, que viu nascer o movimento cívico REGRESSA DA LOMBA, suportado por fãs e amigos desejosos de assistir a um mega concerto seu, no Centro de Conferências de Belas (CCB), no complexo Futungo II. Euclides agradece todo esse carinho em dedicatória na obra “País que Venero”, o seu mais recente disco.
 
Fonte: http://jornaldeangola.sapo.ao