Centro de Inovação no Cazenga impulsiona o empreendedorismo

Centro de Inovao no Cazenga impulsiona o empreendedorismoA ministra da Indústria elogiou, em Luanda, os benefícios do Centro de Inovação e Empreendedorismo, que funciona nas instalações da antiga fábrica de sabão, pela aposta na formação de jovens das comunidades mais carentes do município do Cazenga. 
 
Bernarda Martins, que falava quinta-feira à imprensa à margem do “Fórum de inovação e empreendedorismo”, lembrou que o projecto nasceu com o apoio do Executivo, que cedeu o espaço abandonado, para que se aproveitasse com novos projectos de carácter criativo e lucrativo para a juventude. 
A ministra elogiou o trabalho da actual direcção, porque conseguiu dar vida ao local “apostando na inovação”. Segundo Bernarda Martins, muitos jovens já têm ideias e projectos próprios, procuram o Centro de Inovação com o objectivo de os aprimorar e daí serem lançados no mercado.
A ministra visitou as novas instalações e ficou satisfeita com o que viu, concluindo que o centro vai ajudar não só a juventude, como também empresários e empreendedores consolidados no mercado que queiram inovar os seus produtos. 
A directora-geral do Centro de Inovação e Empreendedorismo, Manuela Ganga, informou que mais de 150 jovens das comunidades periféricas do Cazenga estão a beneficiar de formação profissional gratuita nas áreas de Corte e Costura, Serralharia, Carpintaria, aulas de Informática e Inglês, pela Associação African Innovation Fundation, uma organização não-governamental.
O centro apoia jovens provenientes de comunidades de baixa renda, para que no futuro possam criar independência financeira, apostando no seu próprio negócio.
Segundo a directora, como forma de agradecimento, os alunos fazem a recolha de objectos recicláveis, que são transformados em azulejos, sofás, cestos, carteiras, cadeirões, mesas de centro, tapetes e outros de carácter criativo.
Os funcionários do Centro de Inovação produzem por dia 30 peças de azulejos feitos com plásticos e, consoante o número de encomendas, produzem também sofás, cadeiras e outro material. 
Manuela Ganga explicou que, com o relançamento da fábrica de sabão, foram criados vários compartimentos de trabalho, permitindo a criação de 45 postos de trabalho directos e 20 indirectos.
 
Fonte: http://jornaldeangola.sapo.ao