Empresários do Café formados em gestão

Empresario do Cafe formados em gestaoOs líderes das associações e cooperativas ligadas ao subsector do café, nas províncias do Cuanza Norte, Cuanza Sul, Bengo, Uíge e Malanje beneficiam de formação gratuita, a partir de hoje, em gestão, visando dotá-los de conhecimentos e ferramentas técnicas para o desempenho das suas actividades diárias.
 
A acção formativa, a ser promovida pelo Instituto de Fomento Empresarial (IFE), em parceria com o Instituto Nacional do Café (INCA), enquadra-se no Programa de Capacitação das Cooperativas do Subsector do Café e surge na sequência de várias solicitações apresentadas por empresas deste subsector, segundo uma nota desta instituição chegada à Angop. A execução do programa, que decorre até 05 de Fevereiro, prevê três dias de formação por cada província, explica a nota da organização.
O documento refere ainda que a iniciativa visa igualmente melhorar a produtividade e a competitividade das cooperativas, tendo em vista a disseminação de conhecimentos sobre a estrutura básica de gestão de negócios, providenciando para as associações e cooperativas do subsector do café ferramentas necessárias para a gestão eficaz e transparente dos recursos financeiros e económicos.
O Instituto de Fomento Empresarial (IFE) é um órgão de administração indirecta do Estado tutelado pelo Ministério da Economia e tem como missão implementar as políticas e estratégias de fomento empresarial privado nacional e estrangeiro, assumindo assim a execução prática das tarefas previamente definidas pelo Executivo.
Consta igualmente dos objectivos do IFE, a identificação de políticas que visam o aumento da produção interna, visando a redução das importações, assim como a identificação de oportunidades de negócios para as empresas nacionais, a promoção da marca angolana, a divulgação dos programas dirigidos e o apoio do sector empresarial na remoção das barreiras institucionais para melhorar o ambiente de negócio no país.
 
Previsões animadoras
 
No município do Soyo, província do Zaire, os agricultores expressaram a sua satisfação com a regularidade de chuvas que se fazem sentir na região e perspectivam uma boa colheita de cereais e tubérculos na presente campanha agrícola. 
Os homens do campo afirmaram que as constantes chuvas que caem sobre a circunscrição deixam bons indicadores sobre a colheita em grande escala de amendoim, milho, feijão macunde, mandioca, batata-doce, tomate, repolho, entre outros produtos do campo. Pedro Muabi, camponês, disse que a sementeira lançada à terra está a germinar e florir satisfatoriamente, o que o anima a obter bons resultados na safra.  
“A regularidade de chuva é motivo de satisfação para os camponeses. Estamos esperançosos de que a presente época agrícola possa superar a do ano passado”, vaticinou.
Joana Francisco, também camponesa, disse que a regularidade de chuvas anuncia um ano produtivo para a agricultura, para quem os produtos que foram lançados à terra crescem normalmente.
“Todas as sementeiras que lançamos à terra estão a germinar satisfatoriamente, e isso anima-nos bastante”, acentuou.
O município do Soyo é potencialmente agrícola, sendo a mandioca, batata-doce, amendoim, milho, feijão macunde e hortícolas os produtos mais cultivados.
 
Fonte: http://jornaldeangola.sapo.ao/